5 músicas que embalaram protestos e marcaram época

Thumb 5 músicas que embalaram protestos e marcaram época

Há quem utilize a liberdade que apenas uma democracia pode oferecer para gritar aos quatro ventos seus anseios pela volta da ditadura militar, organizando inclusive protestos para isso.

Depois de Junho de 2013, o brasileiro médio voltou a buscar um maior engajamento político, exercendo seu direito de cidadão também nas ruas, reivindicando melhorias em setores como a educação, transporte e saúde, além de mostrar-se favorável ou contrário a determinados projetos de lei.

Confira agora algumas músicas que embaralham protestos no Brasil e no mundo, colocando em versos e riffs o sentimento popular.

5 músicas que embalaram protestos e marcaram época

1. Fight the Power – Public Enemy

Lançado em Junho de 1989, até hoje o hino considerado o melhor do ano pela revista Village People permanece na boca do povo quando o assunto são protestos contra o sistema. Feita originalmente para o filme Faça a Coisa Certa (Do The Right Thing, 1989) a pedido do diretor Spike Lee, a música fez um alvoroço tão grande, com seus samples e alusões à cultura afro-americana e sua letra partindo para o ataque, que ainda hoje é considerada como uma das responsáveis por trazer o movimento hip-hop ao mainstream estadunidense. Confira:

2. Até quando – Gabriel, o Pensador

Single do álbum Seja Você Mesmo (mas não Seja sempre o Mesmo, 2001), a letra escrita por Gabriel em parceria com Tiago Mocotó e Itaal Shur dá um tapa na cara do conformismo e convoca à população a agir mediante os problemas cotidianos da sociedade.

Como o próprio Gabriel disse, na época da produção do CD ele estava “realmente obcecado em fazer as pessoas pensarem, protestarem e quererem mudar isso que está aí”. Talvez tenha demorado um pouco, mas com os protestos recentes o (também) escritor deve ter se sentido recompensado.

Nota: esse ano o cantor lançou outro som com a mesma temática, ouça “Chega” clicando aqui.

 3. The Mosh – Eminem

Lançado cerca de uma semana antes da eleição presidencial de 2004 em solo estadunidense, Mosh é um dos vários sons de protestos que Eminem já lançou.

Disponibilizado gratuitamente na internet, a música encorajava os eleitores a votarem contrariamente à George W. Bush.

A letra ainda dá um pouco de luz àqueles que estão prestes a cometer um grande erro (ou não) frente à sua cédula de votação e, porque não, à urna eletrônica.

4. Polícia – Titãs

Falando em protestos, claro que não podemos deixar de citar a a polêmica música do Titãs.

Essa música tem o questionar quem tem como missão servir e proteger a população, mas nesse caso fica explícito que a abordagem da segurança púbica precisa urgentemente ser revista. Será que a PM faz por onde merecer as palavras desta faixa do clássico álbum Cabeça de Dinossauro?

Não para por aí: No último álbum (Nheengatu) o Titãs lançou a música “Fardado”, abordando também a atuação da polícia e dialogando de uma maneira mais atual com os protestos, confira aqui para conferir.

 5. People of the Sun – Rage Against The Machine

Abordando o movimento Zapatista, a música foi escrita após o vocalista Zack de la Rocha fazer uma visita à Chiapas, no sul do México. Com diversos pontos, o som faz críticas desde a fatos como a destruição do Império Asteca pelos espanhóis até a uma série de protestos que ocorreram na cidade de Los Angeles (California, EUA), durante a Segunda Guerra Mundial em 1943, ficando conhecidos como Zoot Suit Riots.

Bônus

Vem Pra Rua – O Rappa

Lançada originalmente como parte da campanha da Fiat para a Copa das Confederações FIFA 2013, o som do Rappa logo passou a ser veiculado em vídeos mostrando os protestos contra o aumento da tarifa de ônibus em várias cidades do país, assim como em vídeos mostrando a ação truculenta da Polícia Militar de São Paulo.

Convidando as pessoas a deixarem a timidez de lado e se juntarem ao movimento e, de fato, irem para a rua, a música caiu como uma luva na situação:

Que País é Este – Legião Urbana

Com inúmeras regravações nas mais distintas vozes, o sucesso de 1978 permanece mais atual do que nunca. Composta ainda na época do Aborto Elétrico, a música dispensa qualquer comentário adicional.

Como de costume, já sabe, não é? Deixe também sua opinião nos comentários com mais músicas que também se encaixam nessa temática. 🙂

Envie seu comentário:

Você também pode gostar:



Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE